{ "data": [ { "event_name": "Purchase", "event_time": 1672427937, "action_source": "email", "user_data": { "em": [ "7b17fb0bd173f625b58636fb796407c22b3d16fc78302d79f0fd30c2fc2fc068" ], "ph": [ null ] }, "custom_data": { "currency": "BRL", "value": 1 } } ] "test_event_code:" "TEST51179" }
top of page

ESG e Neurociência: uma oportunidade para criar ambientes mais humanos

Atualizado: 20 de jul. de 2023

A Neurociência pode ser uma grande aliada do ESG, permitindo realizar mudanças na gestão de pessoas com o foco na responsabilidade social

reunião de trabalho
Como transformar a estratégia corporativa e incorporar melhores práticas nas empresas?

Um número crescente de organizações tem buscado ideias de melhores práticas de gestão e governança sob as perspectivas do impacto social e ambiental, correspondendo a demanda de seus próprios colaboradores e de investidores também.

Você já deve ter ouvido muito sobre ESG? Essa sigla, que tem ganhado cada vez mais destaque, corresponde a um conjunto de práticas que são esperados das empresas. Suas letras correspondem às palavras Environmental (Meio-Ambiente), Social (Social) e Governance (Governança): os imprescindíveis temas que passam a fazer parte da tomada de decisão dos gestores.


Essas temáticas não são novas. Já há algum tempo, grandes players do mercado começaram a implementar iniciativas que visam estar de acordo com aspectos sustentáveis e têm se preocupado em ter ambientes que promovem a responsabilidade social e a ética em suas práticas. Então, o que muda com o destaque que a ESG ganha agora?

Antes, apenas as empresas que entendiam o valor do meio-ambiente e das pessoas estavam agindo de forma ativa para que o seu ambiente organizacional se transformasse.


Com o passar do tempo, as empresas foram compreendendo que essa era uma demanda importante de todos os seus stakeholders, desde os seus colaboradores até os seus consumidores finais. A pandemia de Covid-19 também acelerou esse processo para diversas organizações. Com tudo isso, a adoção de práticas correspondentes aos critérios ESG passou a ser relevante para os resultados das empresas e para os investimentos: os investidores passaram a avaliar os indicadores relacionados à responsabilidade ambiental, social e ética, além dos indicadores financeiros.


Diante da força que o ESG ganhou, há um cenário favorável para a transformação da área de recursos humanos dentro das organizações, tanto para a criação de novas iniciativas quanto para realizar mudanças na gestão das pessoas com o foco na responsabilidade social. Para esta área, os indicadores estarão relacionados a questões como diversidade na equipe, o respeito aos direitos dos trabalhadores, a preocupação com a saúde e o bem-estar, a capacidade de engajar os colaboradores de forma genuína, cuidado com a segurança e criar relacionamentos com a sociedade. E, com essa oportunidade, é importante pensar no que será preciso para que tudo isso possa ser trabalhado nas empresas.

mulheres em reunião de trabalho
O entendimento do comportamento humano será uma ferramenta importante para a gestão da mudança

Estar de acordo com essas novas práticas exige deixar certos hábitos de trabalho que aprendemos no passado para trás e desenvolver novas habilidades e novos acordos. Para garantir um ambiente saudável, que torne sustentável as relações de trabalho e não gere um esgotamento do indivíduo, será preciso compreender aspectos básicos do comportamento humano e desenvolver as soft skills, como a empatia e inteligência emocional, dos gestores e dos colaboradores.


Além disso, muitas empresas também terão que olhar para sua cultura e desenhar estratégias para transformar atitudes e formas de trabalho. Mais uma vez, o entendimento do comportamento humano será uma ferramenta importante para a gestão da mudança, visto que é um processo árduo mudar atitudes e pensamentos que já se tornaram hábitos, que aprendemos ao longo de toda nossa vida e que moldam o nosso modelo mental.


Ainda iremos ouvir falar muito da ESG e das transformações que irão ocorrer a partir desse incentivo. A Neurociência será uma grande aliada desse processo, permitindo criar ambientes que realmente respeitam o aspecto humano e permitem um crescimento saudável para todos.


Qual a sua visão e da sua empresa diante desse tema? Quer saber como a Neurociência Organizacional pode atuar nessas diversas questões? Escreva para gente aqui ou continue acompanhando nosso blog.


Até a próxima! 😄


bottom of page