O lado emocional do seu trabalho

Somos ensinados desde bem cedo que no ambiente de trabalho não há espaço para questões pessoais, sentimentos e emoções. Muitas vezes isso é sinônimo de profissionalismo, e um bom profissional sabe que deve deixar do lado de fora do escritório suas emoções e atuar de forma racional em suas atividades. Mas será que conseguimos realmente fazer isso? Ou melhor, será que esta estratégia (caso fosse eficiente) nos torna mais produtivos?

Já sabemos que a resposta é não para as duas perguntas, e algumas empresas também já sabem disso. No entanto, o que observamos é que o modelo de gestão que permeia a maioria das organizações ainda não leva em conta estes novos aprendizados.

Primeiro que nossas emoções são fundamentais para o processo de tomada de decisão. Aquele friozinho na barriga ou suor na palma das mãos que insistem em aparecer quando você precisa tomar uma decisão importante são primordiais para que este processo ocorra de forma bem sucedida. O estudo de Antonio Damásio (uma das principais referências da neurociência) com pacientes que tinham lesão cerebral mostrou que a ausência de respostas emocionais fazia com que os pacientes não tomassem decisões coerentes, apesar de sua capacidade cognitiva estar intacta. Estes achados deram origem a chamada Hipótese do Marcador Somático, cuja ideia principal é que o processo de tomada de decisão é influenciado por respostas fisiológicas (batimentos cardíacos, suor da pele, respiração, etc) produzidas a partir de nossas emoções e sentimentos.

Segundo ponto importante é que a tentativa de esconder ou inibir as emoções tem demonstrado trazer mais prejuízos do que benefícios. Uma região do cérebro chamada de córtex pré-frontal desempenha papel fundamental na supressão de nossas emoções. O problema é que esta região também está envolvida no processamento de informações complexas e pensamento lógico. Ao utilizarmos energia para inibir comportamentos e emoções, deixamos pouco recurso para a resolução de tarefas e atividades que exigem nosso raciocínio.

Sendo assim, ao invés de inibir ou tentar ignorar suas emoções, a melhor estratégia é aprender a lidar com elas, através do desenvolvimento da chamada inteligência emocional. Quando utilizadas a seu favor as emoções podem ser fortes aliadas para um ambiente de trabalho mais agradável e produtivo.

Continue acompanhando a Nêmesis para saber mais!Um abraço e até o próximo post!

RECENT POSTS

FEATURED POSTS

FOLLOW US

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Pinterest Icon

FALE COM A NÊMESIS

SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

FIQUE POR DENTRO

Receba em primeira mão nosso conteúdo gratuito sobre Neurociência Organizacional.

© 2017 Nêmesis. Site criado por Aksinha.