Quatro dúvidas sobre Neurociência e Gestão de Pessoas


Na última década assistimos de perto o avanço da Neurociência e suas mais diferentes aplicações em áreas como Marketing, Educação, Design, Economia, dentre tantas outras. É verdade que o tema, antes desconhecido e de difícil entendimento, ganhou capas de revistas e uma atenção expressiva da mídia desde que seus achados se mostraram relevantes e até mesmo transformadores para vários aspectos da nossa rotina. Isso também é verdade para o ambiente corporativo, que nos últimos anos vem percebendo vantagens de se aproximar da Neurociência para desenvolver modelos de gestão mais eficientes e sustentáveis.

Estamos vivendo um momento de mudanças bastante aceleradas em relação ao ambiente de trabalho. Não apenas as expectativas das pessoas em relação ao trabalho mudaram, como também a maneira como desempenhamos nossas atividades, e o que entendemos como performance e valor vem mudando rapidamente. Além disso, nesse novo contexto, as habilidades necessárias para os profissionais apresentarem um bom desempenho e terem sucesso também mudaram. Diferentes pesquisas ao redor do mundo mostram que as habilidades de comunicação, inteligência emocional, empatia, dentre outras, conhecidas como soft skills, serão essenciais para que os colaboradores consigam ajudar suas empresas a irem mais longe, tornando-as competitivas, flexíveis e adaptáveis ao futuro dinâmico e incerto que se desenha.

Nunca foi tão importante entender de pessoas e, é nesse contexto que a Neurociência surge como ferramenta importante, capaz de oferecer um novo olhar a respeito de como melhorar a gestão do comportamento humano, nos mais diferentes desafios vividos pelas empresas hoje. No entanto, por mais que o assunto esteja em evidência, sabemos que nem sempre a qualidade e profundidade das informações disponíveis são suficientes, gerando muitas dúvidas a respeito de como a aplicação da Neurociência dentro das empresas pode realmente contribuir para melhorar a gestão de pessoas. Por isso, esse texto é para você, que se interessa pelo assunto, mas ainda tem dúvidas sobre como a teoria pode virar prática. Listamos quatro das dúvidas mais comuns, e caprichamos nas respostas!

1. Quais problemas a Neurociência me ajuda a resolver?

Você pode se beneficiar de um trabalho com Neurociência se sua equipe estiver com problemas de turnover, se estiverem desmotivados, com queda de performance, alto nível de estresse, se estiverem ficando doentes, se notar um aumento no número de conflitos, se o clima estiver ruim, com baixa confiança e colaboração entre os membros da equipe e se você quiser melhorar a comunicação interna. Ainda, se você quiser desenvolver habilidades socioemocionais (soft skills), se estiver passando por um período de mudanças, se precisar desenvolver criatividade, autonomia e maior potencial inovador no time, se os líderes da sua empresa estiverem precisando desenvolver suas habilidades de liderança, se estiver precisando investir no programa de sucessão da organização e se a equipe/empresa estiver precisando descobrir o seu propósito. Ufa! A lista é grande, certo? Isso porque citamos apenas os problemas mais comuns! O fato é que a Neurociência será uma excelente aliada sempre que a sua dor envolver fatores humanos e comportamentais, visto que o principal objetivo é melhorar a gestão do comportamento, o que impacta a grande maioria dos processos organizacionais.

2. Qual o diferencial da Neurociência?

Existem várias outras metodologias e lentes pelas quais podemos entender e aprimorar a gestão de pessoas dentro das empresas. Por que a Neurociência? Porque o avanço nas pesquisas científicas a respeito de como nosso cérebro funciona e da origem do nosso comportamento trouxe aprendizados valiosos sobre aspectos inconscientes básicos, comuns a todos nós. Essas bases comportamentais, inerentes aos seres humanos, permitem um entendimento mais abrangente e profundo a respeito de questões como motivação, comunicação interpessoal, saúde, liderança, tomada de decisão, gestão de mudança, dentre tantos outros aspectos que influenciam nossas atitudes no ambiente de trabalho. O olhar fornecido pela Neurociência, além de ser embasado cientificamente, quando bem aplicado, abre novas possibilidades, permitindo a criação de estratégias de gestão mais eficientes, com maior chance de impactar positivamente as pessoas e, consequentemente, as empresas.

3. Como o uso da Neurociência ocorre na prática?

A maneira mais simples e usual, é a partir de ações para transferência de conhecimento. Palestras, Workshops, Trilhas de Desenvolvimento para gestores e colaboradores, programas de Team Building, dentre outras iniciativas que visam desenvolver pessoas e ampliar sua capacidade e eficiência para lidar com as nuances do comportamento humano no contexto do ambiente de trabalho. Existe hoje muita informação disponível no meio acadêmico e científico que podem ser valiosas para as organizações, quando disponibilizadas de forma acessível e aplicável ao contexto de cada empresa. Essas iniciativas ajudam a ampliar a visão dos colaboradores e líderes, abrindo um novo espaço de possibilidades para a criação de métodos e ações mais eficientes para a gestão estratégica de pessoas.

Ainda assim, sabemos que a difusão do conhecimento é apenas um primeiro passo. Para que a Neurociência seja realmente implementada na rotina da empresa e promova transformações sustentáveis, é preciso um trabalho mais profundo que envolve projetos de consultoria e desenvolvimento de soluções customizadas, criadas em conjunto com a empresa para atender demandas e necessidades específicas. O olhar customizado é importante visto que o comportamento humano é bastante complexo e que cada organização precisa identificar a melhor maneira de implementar essas práticas em sua rotina. Embora de fato existam diversos problemas comuns a muitas empresas, não há uma solução única que resolva todos os problemas da mesma maneira. É importante respeitar as particularidades de cada grupo, trazendo de forma customizada a aplicabilidade da Neurociência para o dia a dia das empresas.

4. Existem evidências de resultados positivos nas empresas?

Existe um número crescente de estudos mostrando que a aplicação dos conhecimentos da Neurociência dentro das empresas traz resultados importantes em termos de engajamento do colaborador, redução dos níveis de estresse e afastamento por problemas de saúde, e melhora na performance. O renomado Neurocientista Paul Zak, vem conduzindo diversas dessas pesquisas nos EUA e alguns desses resultados foram compilados em seu livro, “The Trust Factor”.

Outro dado interessante oriundo de pesquisas é a respeito da Empatia, que tem se mostrado correlacionada com a performance das equipes e até mesmo com o lucro líquido das empresas, segundo pesquisa conduzida pela empresa britânica The Empathy Business.

Além disso, grandes empresas como Microsoft, Google e Facebook utilizam em sua rotina práticas e aprendizados oriundos da Neurociência para construção de políticas e estratégias de gestão mais eficientes, que ajudem a melhorar a performance e bem-estar de suas equipes.

Com base nestas e muitas outras evidências, podemos afirmar com segurança que a aplicação bem feita do conhecimento neurocientífico é capaz de impactar positivamente a rotina das empresas.

Eu espero que este artigo tenha ajudado você a entender mais sobre como a Neurociência pode ser sua aliada para aprimorar a gestão de pessoas! Ainda tem dúvidas? Entra em contato conosco! 😊

Um abraço e até o próximo post 😉

RECENT POSTS

FEATURED POSTS

FOLLOW US

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Pinterest Icon

FALE COM A NÊMESIS

SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

FIQUE POR DENTRO

Receba em primeira mão nosso conteúdo gratuito sobre Neurociência Organizacional.

© 2017 Nêmesis. Site criado por Aksinha.